Billie Eilish volta mais séria, expande o som e mantém o nível em ‘Happier than ever’

Veio aí. O álbum mais esperado do pop em 2021 cumpre o desafio que botaram nas costas da Billie Eilish de ser a voz mais instigante dessa geração. Não sem drama. A ex-garota comum volta menos zoeira e mais adulta, mas ainda mordaz, movida pela força do ódio.

O disco é mais sério do que a bombástica estreia “When We All Fall Asleep, Where Do We Go?” (2019). Se antes ela revirava os olhos com a vida de adolescente e inventava histórias de terror, agora ela disseca os dramas de relações abusivas no trabalho e no amor.

O álbum lançado nesta sexta-feira (30) tem 16 faixas que confirmam de vários jeitos seu talento.

Posts recentes